|
|
|
|
|
|
                             
 
 
 
 
 
 
 
 
HOME > NUNO DELGADO > BIOGRAFIA
 
Biografia

Licenciado em Ciências do Desporto pela Faculdade de Motricidade Humana e graduado pela Fundation Degree of Sports Performance in Judo, Universidade de Bath em Inglaterra, Nuno Delgado, considerado o melhor judoca de sempre em Portugal, alcançou, ao longo da sua carreira, inúmeros êxitos enquanto pessoa e atleta de alta competição, tornando-se uma referência e símbolo do desporto nacional. Conquistou, em 2000, a medalha de bronze nos jogos Olímpicos de Sydney, tendo sido, no mesmo ano, distinguido com a Medalha de Honra ao Mérito Desportivo. Actualmente é o mentor da maior Escola de Judo do País, a Escola de Judo Nuno Delgado, um projecto de cariz desportivo e social que ajuda a formar campeões para a vida. 

 Detentor de um currículo impressionante, Nuno Delgado é considerado o melhor judoca de sempre em Portugal, tendo alcançado o ponto mais alto da carreira nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, prova onde conquistou pela primeira vez para a modalidade uma medalha de bronze na competição mais importante do Planeta, a 16ª do desporto português em cem anos de participação olímpica. Este resultado excepcional foi o corolário de muito trabalho e dedicação ao judo, disciplina a que aderiu quase por acaso, puxado desde criança pelos seus amigos da Casa de Benfica de Santarém - cidade onde viveu a infância -, tendo como treinadores António Anjinho e Jorge Barroca. Era o mais forte da agremiação ribatejana e cedo começou a dar nas vistas, ao sagra-se campeão nacional aos 12 anos (1989), feito que repetiu nos dois anos seguinte.

Com o objectivo de evoluir como atleta e prosseguir os estudos universitários (Educação Física), Nuno Delgado foi para Lisboa, ingressando, em 1994, no conceituado Sport Algés e Dafundo, agremiação de tradições e com vários olímpicos de grande nível, como, por exemplo, Pedro Soares e Pedro Caravana, ou os treinadores Rui Domingues e Pedro Cristóvão, tendo este último técnico facilitado bastante a adaptação do judoca aos ares da capital, onde tirou o curso universitário de Educação Física. Como corolário desta aposta, classificou-se no quinto lugar do Europeu de juniores (1996), o seu primeiro resultado de excelência em provas internacionais. A fixação na capital veio dar a Nuno Delgado uma forte mentalidade de conquista, baseada na intensificação dos treinos, que o tornaram num atleta de alta competição de eleição.

Em 1998, volta a brilhar, já como sénior, ao conquistar o primeiro lugar em Marselha (França) e ser terceiro no Mundial Universitário, competição onde a equipa portuguesa também se sagrou vice-campeã por equipas. Depois de passar por algumas dificuldades na conciliação do judo, estudos e início da carreira de professor, Nuno Delgado acabou por mostrar toda a sua capacidade competitiva no ano seguinte, quando arrecadou a primeira medalha, de bronze, num torneio de Nível A (Sófia), ao mesmo tempo que espantou tudo e todos com a conquista do Campeonato da Europa, em Bratislava (Eslováquia), resultado que lhe permitiu passar a receber uma bolsa do Estado para a preparação dos Jogos Olímpicos.

Também em 1999, Nuno Delgado confirmou a sua classe nos grandes palcos internacionais, ao alcançar o quinto lugar no Mundial de Birmingham, resultado que lhe ofereceu a qualificação directa para os Jogos Olímpicos de Sydney 2000, competição onde acabou por subir ao pódio, depois de realizar seis combates, com vitórias frente ao monegasco Thierry Vatrican ("ippon"), ao italiano Francesco Lepre ("decisão"), ao australiano Daniel Quelly ("ippon"), ao iraniano Kazem Sarikhani ("ippon") e, no combate decisivo pelo bronze, ao uruguaio Alvaro Peseyro ("ippon"). Só o sul-coreano Cho in-Chul, que acabaria por se sagrar vice-campeão olímpico, travou o português, derrotado por "yuko".

Os grandes feitos de Nuno Delgado no panorama internacional levaram-no a ingressar nos alemães do TSV Abensberg, equipa que viria a fechar o ano de ouro de 2000 com a conquista da Bundesliga e da Taça dos Campeões Europeus, feito partilhado ainda por Pedro Soares. Também em provas colectivas, o atleta do Algés voltou a ser preponderante na conquista da medalha de prata do Europeu por equipas (2001), o melhor resultado de sempre de Portugal em provas colectivas, depois de bater potências como a Rússia. Registe-se ainda o facto de Nuno Delgado ser um dos poucos portugueses a conquistar medalhas no Super A de Paris (3º em 2002), considerado o melhor torneio do Mundo, e de ser o único a sagrar-se bicampeão no Super A da Alemanha (2002 e 2003) e a participar num Grand Prix, onde foi segundo em Moscovo (2001).

Em 2004, Nuno Delgado repetiu a sua segunda olimpíada, em Atenas, depois de acabar como 5º classificado no "ranking" europeu de qualificação. Foi por mérito próprio o porta-estandarte da delegação nacional, dadas as suas qualidades desportivas e humanas. Mais recentemente, o medalha de bronze em Sydney 2000 tem procurado debelar algumas lesões que o afectaram em várias fases da carreira, designadamente nos Jogos Olímpicos de Atenas, e divulgado as qualidades do judo, uma modalidade onde a actividade física, a competição e o respeito pelo próximo andam de mãos dadas.

by Alexandre Reis
    Jornal Record

 
 
;
 
 
 
 
 
 
 
 
Escola de Judo Nuno Delgado © 2010 - Desenvolvido por Ergostek - Design e Gestão de Conteúdos Inédia
|
 
 
|
|
Parceiros: